Menopausa e climatério é a mesma coisa?

Normalmente vemos várias pessoas se referirem ao termo menopausa para denominar aquela fase da vida da mulher de transição do período reprodutivo, para a sua fase não reprodutiva. Contudo, esta fase, na verdade se chama climatério. Mas por que esta confusão ocorre? O que é, então a menopausa?

Vamos descobrir neste texto a diferença entre este dois termos, aprender quando empregá-los e, também, darmos algumas dicas para você, mulher, ter mais qualidade de vida neste momento tão particular. Confira!

Quais as diferenças entre estes dois termos?

O climatério é o processo de transição que o corpo feminino faz do período reprodutivo para o período não reprodutivo, diminuindo a produção dos hormônios femininos no organismo. Como consequência, os ciclos menstruais vão se tornando mais espaçados ou irregulares e, a mulher pode apresentar episódios de ondas de calor no corpo (também chamados de fogachos), sudorese noturna, formigamentos, cansaço, dores, alterações de humor e insônia. Estes sintomas podem apresentar variação de intensidade para cada pessoa.

Os primeiros sintomas podem começar entre os 40 e 45 anos e se estendem por cerca de 3 anos e precedem a fase seguinte, a da menopausa.

A menopausa é a data da última menstruação, e só é possível saber após 12 meses consecutivos sem o fluxo menstrual. Isto significa que o corpo parou a produção dos estrógenos e progesterona, os hormônios femininos. Esta fase acontece geralmente aos 50 anos de idade e ela ainda pode apresentar alguns dos sintomas do climatério com maior ou menor intensidade.

Como passar pelo climatério e a menopausa com sintomas menos intensos?

A intensidade dos sintomas causados pelo climatério e a menopausa variam bastante em cada organismo. Geralmente os fogachos, a sudorese noturna, insônia e as alterações de humor são as mais comuns. Contudo, entre os sintomas também estão o aumento de peso, osteoporose, cansaço e as dores articulares, musculares e de cabeça.

Porém, para reduzir os impactos que estas mudanças corporais podem causar no seu dia-a-dia, algumas ações podem ajudar. Veja!

1. Invista em uma dieta balanceada, que compense a falta dos hormônios

Mantenha uma dieta que equilibre os carboidratos, proteína e gordura em relação aos fitoestrógenos presentes na soja (tofu e tempeh orgânicos são ideais), maca peruana, linhaça, inhame, gergelim e aveia. Eles alimentos contém substâncias que, por sua similaridade aos hormônios femininos, estimula os mesmos receptores.

2. Mantenha uma rotina constante de sono

A insônia é um sintoma bastante comum. Por isso, manter uma rotina sempre parecida de sono ajuda o corpo a ter mais controle neste quesito. Prefira sempre o sono noturno, pois é mais reparador.

3. Adicione as atividades físicas na sua rotina semanal

No mínimo 20 minutos de atividade física, de 4 a 6 vezes por semana ajudam a manter o seu corpo saudável e ativo, o que reduz o risco de osteoporose, reduz a irritabilidade e a insônia. Caminhada, hidroginástica, pilates, dança são ótimas opções para se exercitar.

4. Tenha momentos de lazer

A diminuição do hormônios pode trazer mudanças de humor e também irritabilidade. Por isso, é importantíssimo zelar por uma rotina que contenha momentos agradáveis, de lazer e descanso para minimizar estes sintomas. Começar um novo hobby ou ter atividades sociáveis pode ajudar também a deixar o dia-a-dia mais leve.

5. Procure tratamento de reposição hormonal

Caso os sintomas estejam incômodos mesmo com uma mudança de hábitos durante o período, é possível, também, fazer um tratamento de reposição hormonal. Para isso, procure um ginecologista ou endocrinologista para fazer exames adequados, para entender se está apta a fazer a reposição. É muito importante que este tratamento seja devidamente acompanhado pelo profissional adequado, já que pode haver efeitos colaterais e não é recomendado para mulheres com histórico de câncer de mama, doenças coronárias ou Acidente Vascular Cerebral (A.V.C.).

Apesar de ser uma fase com várias mudanças corporais, ainda sim, este momento de amadurecimento pode, também, gerar boas transformações. Mudar seus hábitos, praticar o autocuidado, através de uma rotina mais saudável e se permitir ser livre para entender melhor o seu corpo e suas mudanças é uma maneira leve de viver esta nova fase da vida.

O climatério e a menopausa são momentos únicos na vida e, inclusive, muito exclusivo para cada mulher. Cada corpo é único e passará de forma muito particular por este período. Nenhum climatério ou menopausa é igual uma a outra. Por isso, é importante cuidar de si, da saúde física e mental para ter qualidade de vida neste período e por muitos anos. Gostou de aprender sobre essa fase importante na vida de toda mulher? Então acompanhe nossos textos e nossas redes sociais para saber de todas as nossas novidades!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *