Guia alimentar da população brasileira

O Guia Alimentar da População Brasileira é um documento que apresenta informações e recomendações importantes para promover a saúde da população do país através de um modelo de alimentação ideal. Elaborado a partir das diretrizes da Organização Mundial de Saúde (OMS), com o intuito de educar e instruir a população sobre seus hábitos alimentares, além de sua aplicação nas instituições e também nas casas brasileiras.

Este guia propõe 10 passos importantes para que a nossa alimentação se mantenha saudável. Confira quais são elas e compartilhe este texto para seus amigos e sua família para que conheça estas diretrizes e as apliquem em sua rotina.

Os 10 passos para uma alimentação saudável segundo o Guia Alimentar da População Brasileira

 

1. Faça dos alimentos in natura ou minimamente processados a base da alimentação

Para ter uma alimentação balanceada e com grande valor nutricional, os alimentos in natura ou minimamente processados devem ser a base das refeições diárias. Grãos, raízes, tubérculos, verduras, legumes, frutas, carnes (e seus derivados) e outros alimentos naturais, são muito importantes para compor o prato dos brasileiros de forma nutritiva e saborosa.

2. Utilize óleo, gordura, sal e açúcar em pequenas quantidades no preparo

Se utilizados com moderação, combinados com elementos in natura ou minimamente processados, estes itens da culinária podem tornar a refeição ainda mais prazerosa. Contudo, é preciso ter cuidado para não exagerar na dose!

3. Limite o consumo de alimentos processados

Alimentos processados, como frutas e legumes em conservas, além de pães e queijos, possuem os níveis nutricionais alterados pelo próprio processo de fabricação. Por isso não devem ser base da sua alimentação, mas podem ser preparados como parte de algumas refeições eventuais.

4. Evite o consumo de alimentos ultraprocessados

Os alimentos ultra processados como salgadinhos, biscoitos recheados, refrigerantes, dentre outros, devem ser evitados, pois são nutricionalmente desbalanceados (o que causa danos à saúde) além de possuírem um processo de fabricação que afetam de forma prejudicial o meio ambiente.

5. Coma regularmente e com atenção, em ambientes apropriados, e se possível, com companhia

Mantenha uma rotina de horários fixos para as refeições, desfrute deste tempo com atenção, comendo devagar e com cuidado. Procure se alimentar em um lugar limpo e tranquilo, onde não haja estímulos para o consumo desenfreado.

Comer na companhia de amigos, familiares ou colegas também é importante, pois estimula a alimentação atenta e regular. O momento de compartilhamento das atividades domésticas que envolvem as refeições (preparar a comida, lavar a louça), também é uma ótima atividade de convivência e saúde.

6. Faça compras em locais que oferecem variedades de alimentos in natura

Faça suas compras em mercados, feiras, varejões e outros estabelecimentos que vendam produtos in natura, se possível, de produtores locais. Prefira frutas e verduras da estação, e se puder adquira produtos orgânicos e agroecológicos. Valorize o trabalho dos pequenos agricultores locais!

7. Desenvolva e compartilhe suas habilidades culinárias

Desenvolva habilidades culinárias para que você tenha independência para cozinhar de forma saudável e autônoma. Para isso, há vários cursos, livros, vídeos na internet. É possível também consultar os amigos e familiares em busca de novas receitas.

E se você já possui estas habilidades, compartilhe seu conhecimento, principalmente com crianças e adolescentes, independentemente do gênero. Existem algumas receitas mais adequadas para cada tipo de idade, que não usam fogo ou materiais cortantes, que você pode fazer conjuntamente com crianças menores.

8. Planeje bem seu tempo para dar à alimentação o espaço que ela merece

Tenha um planejamento definido para as atividades que dizem respeito a alimentação da casa. Organize as compras, a dispensa e divida de forma clara entre os membros da família as tarefas domésticas em relação ao preparo dos pratos. Faça do momento das refeições, um espaço de prazer, cooperação e união.

9. Quando se alimentar fora de casa, dê preferência a locais com refeições feitas na hora

Nos horários de lazer, quando sair para comer fora, procure estabelecimentos com refeições feitas na hora. Comida caseira ou restaurantes por quilo são algumas das opções para um bom almoço ou jantar. Evite comer com frequência em redes de fast-food, pois os alimentos preparados geralmente possuem baixo valor nutricional e muita adição de sal, óleos e açúcares, que a longo prazo podem causar danos a saúde.

10. Seja crítico em relação às informações veiculadas em propagandas comerciais

O principal propósito de uma propaganda é vender um determinado produto ou serviço. Por isso, avalie de forma crítica as publicidades que recebe na televisão, internet e outros meios de comunicação, a respeito dos alimentos e procure informar sobre sua origem e qualidade nutricional. Estimule também as pessoas ao seu redor a terem a mesma conduta, principalmente as crianças e jovens.

Você já pratica algum ou vários dos itens que citamos aqui do Guia Alimentar da População Brasileira? Caso ainda não esteja colocando em prática estas dicas, você pode começar hoje mesmo a repensar alguns hábitos alimentares. E caso você queira ainda mais informações sobre vida e alimentação saudável, recomendamos, além da leitura deste ótimo guia, também confira mais textos do nosso blog!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *